Existem empreendedores que são empresários ou líderes em seus negócios. Existem, também, pessoas de mentalidade empreendedora que são colaboradoras em empresas. Empreendedor nem sempre é alguém que tem uma empresa ou dirige um negócio. Muitas vezes, encontramos empresários que não possuem esta mentalidade.

Quando me perguntam diferenças entre pessoas comuns e pessoas de mentalidade empreendedora, sempre me vem a mente um exemplo que vi há alguns anos, onde um palestrante apontava para uma projeção branca com a imagem de um círculo preto e perguntava o que cada um estava vendo. Uns respondiam que viam um círculo, outros viam uma bola, outros viam uma esfera. Cada um dizia ver algo que aquele círculo poderia representar. O palestrante, ainda não estava satisfeito. Perguntava novamente: “Ninguém está vendo nada além disso?” E outras respostas vinham dentro do mesmo tema. Um pneu de bicicleta, uma argola, um anel… Então o palestrante perguntou se as pessoas não estavam vendo a tela de projeção, a parede do auditório, o interruptor da luz e tudo mais que havia naquela parede.

A diferença percebida em pessoas empreendedoras está em enxergar além. Está em ver uma parte e enxergar o todo. Está em ver um problema em sua frente e enxergar várias oportunidades que até parecem ter tido uma criação espontânea. Oportunidades que parecem pedir para nascer. E isto não é fruto de um dom ou talento especial que se nasce com ele. Isto está ligado à prática e ao exercício de pensar. Não querer refletir sobre um assunto e preferir ler o resumo sem se dedicar ao esforço do pensamento, atrofia o cérebro e torna o sujeito preguiçoso. Pessoas que têm preguiça de pensar, costumam devolver rapidamente uma resposta: “Não entendi.” É claro que não entendeu, visto que nem sequer pensou um pouco.

No futebol amador – e até no profissional –, atletas que não têm grande habilidade com a bola costumam recebê-la e logo chutam para qualquer jogador do seu time para se livrar do problema. Em vez de enxergar uma oportunidade e ver o que fazer de melhor com a pelota, preferem repassá-la de “bate-pronto” para outro jogador. Muitas vezes, para o próprio que lhe passou a bola, como se respondesse: “Não entendi. Fica com a bola e me passa só quando eu estiver de cara pro gol.”

Nos negócios, repassar a bola para o interlocutor antes de tentar digerir um pouco a informação pode passar a seguinte mensagem: “Eu não entendi. Não quero perder meu tempo (que vale mais que o seu) tentando entender, então dê o seu jeito e me explique tudo de outra forma.”

Pessoas de mentalidade empreendedora possuem a capacidade de entender melhor vendo apenas um fragmento da ideia. Estas pessoas têm condições de evoluir um projeto, pois captam mais rapidamente a essência de um conceito e logo estão contribuindo e fazendo o empreendimento crescer. Todos podemos ser empreendedores. Só precisamos nos dedicar mais a ouvir, ler e a pensar.

Pense nisso!

 

Comentários